Home   |   Os Guias   |   Fuja no Fim de Semana   |   Fique em São Paulo   |   Fujinha   |    Fuja por 1 Ano   |    Fique Gourmet   |   Fique Zen  




Calcule todos os gastos da sua viagem

Hospedagem e spas
Restaurantes e comidinhas
Agências e Monitores
Principais destinos - Como chegar
Como viajar
Informações de trânsito
Previsão do tempo
Como comprar o Guia Fuja no Fim de Semana

Calendário










Este é o espaço dos viajantes, sejam ou não usuários do Guia Fuja e do Fuja.com br. É para quem quiser dar suas sugestões de viagem. Fique à vontade, a página é sua! (Mande sua sugestão para o e-mail adriana@afcomunicacoes.com.br, identificando--se com nome completo, e-mail, telefone de contato e cidade/bairro onde mora. Publicaremos apenas seu nome completo e o local de origem.)

Leitora recomenda pousada em Piracaia, a 100 km de São Paulo

Gostaria de recomendar a Pousada Casa do Lago em Piracaia (100 km de SP). Ótimo lugar para fugir de São Paulo! O lugar é paradisíaco, comida ótima, e os donos muito simpáticos! Vale a pena! Zoe Ramsden, São Paulo

Mais informações: www.casa-do-lago.com



Leitora sugere hotel em Torrinha, perto de Brotas

A Fazenda Hotel Vale Verde, em Torrinha, é muito bem cuidada pela família proprietária. Acomodações limpas, cozinha caseira com queijos, leite, doces, pães, lingüiça, tudo produzido por eles, todos muito receptivos. Uma hospedagem muito familiar. E a fazenda tem diversão como cavalgada, trilhas ecológicas, tirolesa, cachoeiras (várias), suficiente para passar um feriado inteiro sem sair de lá.

Vanesca Araújo, João Pessoa (PB)



Leitor indica hotel em Monte Sião, Minas Gerais

Estimulados pelo guia Fuja de Casa com as Crianças, eu e minha família passamos um fim de semana prolongado no Hotel Fazenda Guarani, em Monte Sião. O guia não mente quando fala sobre a estrutura do lugar, ótima para quem tem crianças. Muito obrigado pela dica.Há passeios de charrete, cavalos para montar, lago com pedalinho, quadras, playground e uma cozinha aberta a noite toda. E tem um diferencial importante para os dias de chuva do verão: a piscina coberta!

Silvio Aoki F., Osasco, São Paulo



Pousada de Monte Alegre do Sul recebe elogios

O forte da Pousada da Fazenda, em Monte Alegre do Sul, é o charme de se hospedar em uma fazenda em plena atividade. Dependendo da época, os Hóspedes presenciam a secagem do café ou a colheita dos morangos. E as refeições são servidas em uma casa que preserva a arquitetura original! Como fica perto do centro da cidade, dá para ir a pé fazer um passeio e conhecer as muitas fontes de águas minerais, um dos atrativos da região. O Atendimento é supergentil. Vamos voltar, com certeza.

Rosemarie Z. Suarez, Parque dos Príncipes, São Paulo



Leitor reclama de hotel de Araçoiaba da Serra

O leitor Adriano Silva se sentiu frustrado em sua única semana de férias no Hotel Fazenda Reviver, em Araçoiaba da Serra. Ele, que viajou com a mulher e o filho de 5 anos, tem queixas sobre a qualidade das camas, problemas elétricos no apartamento, comida e monitores. No final da estadia, solicitou um desconto pelos incômodos e não obteve. Ouvimos o hotel, que já foi inclusive recomendado por este site e por nossos guias, e a proprietária afirmou que houve uma série de infelicidades na maioria dos casos, mas não com os monitores –que negam o ocorrido– nem com as camas, e que, se o hóspede tivesse feito suas reclamações durante a estadia, e não apenas no final, ele poderia deixar o hotel sem ônus. Sabemos que aborrecimentos em férias têm um impacto muito maior do que aborrecimentos do dia-a-dia e, por isso, a orientação deste site aos leitores insatisfeitos com sua hospedagem é que reclamem logo de seus problemas para que possam não arcar com o custo.

Eis o relato do leitor Adriano Silva:

Gostaria de relatar abaixo uma experiência desagradável que tive ao me hospedar no hotel-fazenda Reviver. Como tínhamos apenas uma semana de férias queria levar minha esposa e meu filho (de 5 anos) para um lugar afastado da agitação da cidade grande, onde pudéssemos ter contato com a natureza e conviver com as demais pessoas num ambiente aprazível e familiar, não abrindo mão do conforto, segurança e lazer. Consultei o site de vocês e o site do hotel e fiquei bem impressionado. Mesmo o preço estando um pouco acima dos outros hotéis da mesma categoria, achei que valeria a pena o investimento e fechei reserva para 4 dias. Ao chegar lá tive uma boa primeira impressão, extensos gramados, jardins bem cuidados, recepção agradável, mas a boa impressão acabou aí. O quarto tinha como cama de casal duas camas de solteiro encostadas com um remendo de espuma no meio. Mas relevamos. Mais tarde assistíamos televisão quando uma pane elétrica apagou tudo no quarto. Reportamos imediatamente à recepção mas fomos informados de que a pessoa que faria a manutenção só estaria no hotel na manhã seguinte! Por sorte já tínhamos tomado banho, mas dormimos sem televisão e com a lâmpada de emergência piscando sobre a cabeceira da cama! Digamos que não foi uma noite muito agradável. Mas relevamos. No dia seguinte foi realizada a manutenção no quarto e achamos que o problema estaria resolvido, mas a noite na hora do banho o chuveiro não funcionava, nem a TV, nem as lâmpadas. Os outros quartos ao lado tinham o mesmo problema. Nos outros dias a situação melhorou um pouco, mas eventualmente o problema ainda voltou a acontecer. Mas relevamos. Tivemos ainda problema no restaurante. A comida é realmente muito boa, mas minha esposa encontrou algo não comestível no meio da salada. Mas relevamos. Tivemos problema também com um monitor da recreação, que buscou nosso filho para que brincasse com as demais crianças. Só que cinco minutos depois, eu e minha esposa fomos ver se estava tudo ok e encontramos meu filho sozinho, chorando e todo enlameado! Mas relevamos. Para fechar com chave de ouro, o pagamento da conta tinha sido combinado da seguinte forma: 40% na reserva, 30% mais consumação no check-out e 30% para 30 dias. A recepcionista me passou os dois valores e as datas para pagamento. Preenchi os dois cheques e coloquei no próprio campo de data do cheque as datas de pagamento conforme ela havia me orientado. Dois dias depois, já em casa, qual não foi minha surpresa quando vi que os dois cheques tinham sido descontados no mesmo dia! E a proprietária do hotel ainda me disse que eu é que tinha cometido um erro ao não destacar a data do cheque pré. No meu entendimento, este destaque cabe ao recebedor do cheque, em qualquer situação. Ainda me ofereceram uma diária grátis no hotel como forma de ressarcimento por todos inconvenientes, mas achei melhor não aceitar.

Eis as explicações da proprietária do hotel Reviver, Sally Mônica Kaplan Rocha:

Sou Mônica, proprietária, e gerencio pessoalmente o hotel e assim, gostaria de responder ítem por ítem da carta enviada pelo Sr. Adriano.

1) As 2 camas de solteiro se transformam em perfeita cama de casal com um enchimento de espuma forrado que encaixa perfeitamente nos vãos das duas camas e que fica imperceptível ao deitar-se. As pessoas sabem que são duas camas por verem as cabeceiras mas ao se deitarem não se percebe e existe uma adptação nos pés das camas para mantê-las juntas sem problemas. Este é o procedimento usual no mundo todo para acomodar épocas de convenções quando vem aptos twin. Quando o senhor Adriano fez sua reserva foi explicado por mim pessoalmente que nesse tipo de apto STD exitiam 3 camas de solteiro ou uma de casal e uma de solteiro e que nos demais tipos de aptos do hotel as camas de casal eram king size box spring e ele poderia ter escolhido outro tipo de apto :LUXO ou VIP pois ainda tínhamos vagas pois sua reserva foi feita em 18/6 para entrar no dia 17/07 mas optou pelo tipo STD muito consciente do que continha no apto.

2)A pane a que o Sr. Adriano se refere foi a queda do dijuntor de seu bloco de chalés e a recepção não sabendo do ocorrido imaginou ser um problema técnico informando que o funcionário responsável pelo sistema de comunicação só estaria na manhã seguinte mas o problema foi resolvido em seguida pois o técnico da manutenção se dirigiu ao local constatando que um excesso de carga ocasionara a queda do dijuntor. O mesmo foi religado e no dia seguinte tomamos a precaução de trocar o dijuntor para evitar que o mesmo voltasse a acontecer. Portanto, os hóspedes não ficaram sem televisão a noite toda; foi uma interrupção rápida. Quando ocorreu a queda do dijuntor verificamos que o mesmo atendia ao seu bloco com 4 aptos sendo que 3 destes aptos pertenciam à uma mesma família de 12 pessoas que tomavam banho todos no mesmo horário (horário de pico de fornecimento de energia em todo o país) e assim ao cair o dijuntor, desligou os chuveiros, TV etc e então trocamos o Sr Adriano e sua família de apto para outro bloco a fim de resolver o problema e realmente foi resolvido. Diga-se aliás que os outros 3 aptos da mesma família e o novo hóspede que entrou no apto que o Sr. Adriano desocupara nunca mais tiveram qualquer tipo de problema.

3)A lâmpada de emergência só é acionada quando há um apagão por parte da CPFL (nossa fornecedora de energia) e descarrega em no máximo 1 hora e não entendo como ela ficou piscando se não houve falta de energia...

4)Infelizmente eu só soube que a esposa do Sr. Adriano achara um objeto não comestível em uma das saladas na saída. Digo infelizmente pois eles não mostraram o prato à nossa atendente e portanto não pudemos nos aprofundar em como este objeto foi aparecer na salada e posteriormente em seu prato. Tratava-se de um araminho revestido de plástico que amarra saquinhos de verduras e outros tipos de mercadoria.

5) Quanto aos monitores, infelizmente, este episódio também só me foi relatado pelo hóspede na saída e me causou um grande espanto pois primeiramente qualquer problema que envolva uma criança, um filho, é grave e deve ser reportado imediatamente à gerência. Quando fui investigar (4 dias após o episódio, que foi no primeiro dos quatro dias de hospedagem dessa família), nenhum dos monitores confirmou o ocorrido e soube que a criança brincou com os monitores até o último momento de sua estadia. Nossa recreação é terceizada a uma empresa consagrada no mercado e que assume total responsabilidade pelo seu serviço. Episódios como este não ocorreram com ela em momento nenhum, nem em nosso hotel, nem em outros hotéis que a mesma empresa presta serviços.

6) Finalmente, quando uma pessoa dá um cheque pré- datado, tem que ter o cuidado (já que é de seu interesse) de predatá-lo em destaque e não deixar para a empresa fazê-lo. Recebemos inúmeros cheques pré-datados nos 17 anos em que o hotel existe e nunca um cheque foi descontado antes da data combinada, apenas nesse caso.

7) Quero deixar bem claro que a esposa do sr. Adriano mandou me chamar na hora do fechamento para solicitar um desconto no seu pacote (já usufruido) por conta dos episódios acima relatados somente nesse exato momento do check-out. Fiquei muito surpresa pois até então apenas tomara conhecimento da queda de energia, o que foi resolvido. Quem está descontente com um hotel externa seu descontentamento à gerência ao longo de sua estadia, não simplesmente releva. O hotel estava lotado e na mesma hora teríamos autorizado a quebra de pacote sem ônus para os hóspedes em questão. Nossa "mercadoria" é efêmera e volátil; expliquei-lhes que não vendemos bens que são devolvidos e colocados na prateleira para venda posterior e que portanto, uma vez que já haviam usufruído de tudo que o hotel possui – alimentação, lazer, monitores, serviços, etc.–, os encargos relativos ao hotel por parte de sua família já estavam comprometidos, mas, para demonstrar boa vontade em atender seu pedido, daria uma estadia de cortesia.


Leitor é assaltado no Guarujá e responsabiliza hotel

O leitor Francisco Luquiari viveu uma daquelas situações em que os brasileiros têm pavor de pensar: foi assaltado à mão armada. O pior é que isso aconteceu durante uma viagem de férias no Guarujá. Ele faz um alerta importante ao site Fuja: foi assaltado quando tirou o carro da garagem do hotel, que ficava do outro lado da rua – vários hotéis do Guarujá oferecem estacionamento separado do prédio principal. Queixou-se de não haver iluminação suficiente, nem segurança fixo e de não receber nenhuma compensação do hotel pelo prejuízo. Este site pediu uma posição ao hotel, que confirmou que os assaltos vêm ocorrendo com freqüência na alta temporada do Guarujá e justificou não ter oferecido desconto na diária por ter achado que isso poderia ofender o hóspede.

A recomendação deste site, portanto, é que os viajantes que vão para o Guarujá tomem o cuidado de entrar e sair apenas dentro das garagens, sem ficar com o carro parado na rua. Se houver defeito na iluminação pública, como foi o caso, que o viajante não deixe o carro lá; que procure outro estacionamento pago e bem-iluminado, e ande a pé ou de táxi até lá. E que exija que um funcionário do hotel o acompanhe até o estacionamento quando for retirar ou entregar o carro.

Sobre o comportamento do hotel Il Faro, o que este site pode dizer com a experiência de lidar com muitos hotéis é que: 1) o hotel Il Faro é um bom hotel segundo vários leitores de nosso site que já o freqüentaram, 2) já há muitos hotéis no Brasil que automaticamente compensam o hóspede quando alguma coisa dá errado em sua viagem, com descontos ou diárias de cortesia, mas é verdade que ainda são principalmente hotéis de grande porte, 3) há que se entender completamente a situação de estresse pela qual passa alguém quando é assaltado e apoiá-lo mesmo se ele se comportar com nervosismo excessivo, o que não sabemos se foi, ou não, o caso deste leitor.

Veja o relato do leitor Francisco Luquiari:

Passei por uma situação muito constrangedora no Guarujá. Após realizar pesquisa pela internet solicitei cotação e achei o hotel Il Faro na praia da Enseada como um lugar interessante e realmente não é dos piores, porém no site consta existir garagem para o seu automóvel qual foi a minha surpresa ao chegar onde a garagem localiza-se do outro lado da calçada a uns 30 metros aproximadamente do hotel em local com iluminação deficiente e sem segurança fixo. Conclusão: ao tirar o carro da "garagem" do hotel à noite fui assaltado ao tentar sair, perdi documentos,dinheiro, celular, jóias de minha esposa e etc,por sorte não levaram o carro pois tratavam-se de pivetes armados, foram-se meus ultimos dias de férias. Após meu retorno a São Paulo tentei fazer contato com o hotel,pois no dia do ocorrido o dono do hotel fez-me a "gentileza" de deixar-me telefonar ao banco para sustar os cheques roubados mas nada além disso.

Para mim meu passeio acabou na metade e sequer o desconto da diária o hotel me ofereceu – nesse contato solicitei qual forma eu poderia ser ressarcido total ou parcial por ter sido assaltado sendo que o hotel deveria fornecer-me segurança e a resposta que obtive foi de que isso poderia acontecer em qualquer lugar, porém fui informado por policiais que não foi o primeiro caso naquele local. Achei total falta de consideração com o cliente; outro final de semana que me fosse oferecido pelo hotel já seria um minimo de respeito, embora eu nunca mais pretenda pisar naquele lugar. Vale a pena parabenizar e ressaltar o bom atendimento que me foi dado pela policia do Guarujá atendendo-me rapidamente e com todo o respeito que um cidadao merece, aí sim fiquei muito satisfeito.

Francisco Carlos Luquiari

Veja a resposta do hotel Il Faro:

Todo o nosso material de propaganda no site www.hotelilfaro.com.br, assim como os nossos recepcionistas, informam que dispomos de um estacionamento, com vagas limitadas, e não de uma garagem, portanto, sendo infundada a surpresa do Sr. Francisco. Esse estacionamento se encontra quase em frente ao hotel, só atravessar a rua, e é também onde funciona a nossa lavanderia e as instalações de nossos funcionários. Local esse arborizado e cercado por muros e portão altos, não se tratando de um local isolado ou deserto. Sempre que um hóspede necessita adentrar este estacionamento é acompanhado por um dos nossos recepcionistas, já que o portão sempre se encontra fechado. Contamos ainda com um segurança terceirizado, da Delta (uma das mais sérias empresas nesse ramo, no Guarujá) que trabalha para nós no período das 23:00 - 6:00hs ( o assalto ocorreu no início da noite).

O Sr. Francisco foi assaltado após retirar o carro do estacionamento e ao estar parado na calçada com portas abertas para que a sua esposa e filha entrasse no carro, por cinco menores de idade, um deles armado. Na calçada estava ainda um nosso recepcionista e na esquina, um segurança de uma pousada que de longe presenciou tudo.

Somos alemães e estamos no Brasil desde ano passado e na direção do hotel desde outubro, e por isso mesmo nos dedicando ao máximo para sentir o Guarujá, o nosso público e dar um atendimento bem personalizado, pois hotelaria está no nosso sangue. Portanto, nem merece comentário o que ele afirma quanto ao pouco caso que meu marido deu à sua história. Imagine se tivesse tomado proporções maiores do que um roubo e também o risco para nossos outros hóspedes, nossos funcionários que lá têm seus chuveiros, área de repouso, e nós mesmos que somos uma família e vamos constantemente ao estacionamento e à lavanderia. Como não se preocupar e ter impatia por um assunto que nos toca tão de perto acontecido com um dos nossos hóspedes!! Quanto a iluminação da rua, ele teve razão, pois havia uma lâmpada de poste queimada, que vínhamos pedindo a troca junto à Prefeitura, e que já faz algum tempo que felizmente já foi resolvido.

O Sr. Francisco não tentou entrar em contato com o proprietário. Ele o fez através do seu advogado. O furto ( o que muito lamentamos por todos os motivos possíveis, inclusive com maior impacto por não estarmos ainda habituados à violência que está existindo em um país tão lindo como o Brasil) se deu fora da propriedade, com testemunhas do recepcionista e do vigia da pousada próxima. Onde ocorreu o caso é que juridicamente determina a responsabilidade ou não do proprietário.Infelizmente assaltos ocorrem com frequência no Guarujá, principalmente na alta temporada! O que me chamou atenção foi ele mencionar não termos lhe oferecido uma cortesia para voltar ao hotel que isso seria um desrespeito pelo cliente!!!!!!. Acredite que lhe daríamos com o maior prazer e lhe prestamos toda a solidariedade que nos foi possível...mas, ao meu ver, pareceria exatamente o contrário, desrespeito ao cliente, naquela oportunidade, ainda sob o impacto de um grande susto, lhe oferecermos tal cortesia...!!

Vera e Harld Stolze
Hotel IL FARO


Leitora reclama dos preços altos dos resorts paulistas

A leitora Sueli Shimohama Cinto, de São paulo, fez uma viagem recente a um resort baiano e ficou surpresa com preços muito mais baixos que os dos resorts paulistas. Veja seu depoimento: “Eu fico assustada com os hotéis que agora se dizem resort no estado de São Paulo. Estive procurando alguns para um final de semana normal e quase cai das pernas de susto com os valores das diarias, e somente com café da manhã.... Acho que o pessoal de hotelaria paulista exagera um bocadinho nos preços. Estive no Vila Gale Mares na Praia de Guarajuba, a 12 km da Praia do Forte, com esquema “all inclusive”, ou seja, incluídas até bebidas, se nacionais, cerveja, espumante, sucos, agua de coco, todos os tipos de batidas, uísque, com ceia todos os dias das 0h às 5h em diária de R$ 548,00 por casal...

E ela faz um apelo:
"Vamos lá, hotéis do interior paulista, melhorem os precinhos, assim poderemos viajar muito mais pelo nosso interior paulista, que amo muito!"


Leitor recomenda pousada da Serra da Canastra

O leitor Sérgio Davo, que mora no Rio de Janeiro (RJ), no bairro do Catete, relata sua ótima experiência de viagem na Serra da Canastra e de hospedagem na Fazenda Passaredo (http://www.fazendapassaredo.com), da cidade mineira de São José do Barreiro.

"A Serra da Canastra é um lugar fantástico, onde está localizada a nascente do rio São Francisco. Em 1972 foi criado o Parque Nacional da Serra da Canastra, para proteger as diversas nascentes de córregos e rios, bem como a fauna e a flora.

Os mais conhecidos animais existentes na região são o Lobo Guará (parece que lá é onde existem em maior número), a Onça Parda (infelizmente em extinção), o Tamanduá-Bandeira (vi dois), a Siriema (vi muitas!), o Gavião Carcará e o Tucano(também vi muitos).

Fiquei hospedado na Hotel Fazenda Passaredo, de uma carioca muito simpática que conheceu a região em 2.000, se apaixonou e resolveu se mudar para lá. Fica em São José do Barreiro (MG), no vale do córrego da Lavra, um local lindo, com cachoeiras maravilhosas e vista panorâmica do chapadão da Canastra e da Babilônia. Pertinho da Fazenda (15km) está localizada a portaria 4 do Parque, que dá acesso à majestosa cachoeira Casca d'Anta, de 186 metros de altura, a primeira do Velho Chico.

Na Fazenda e na região existem diversas opções de trilhas, passeios à cavalo e banhos em rios cristalinos, e também existe um centro de aventuras próximo (15 minutos), onde se pode fazer bóia-cross, arvorismo, rapel e tirolesa.

As estradas no entorno de São José do Barreiro são de terra, mas estão em bom estado. A taxa para entrar no Parque é R$ 3,00. Não se esqueça de levar filtro solar, boné, cantil, máquina fotográfica, tênis e roupas confortáveis, além de roupa de banho! Recomendo e voltarei em breve!"
Sérgio Davo, Catete, Rio de Janeiro (RJ)

Site: www.fazendapassaredo.com
E-mail: info@fazendapassaredo.com
Tels: (37) 3433-2036 - Como explica o leitor, tem de insistir, o telefone é via rádio, e nem sempre funciona bem.


Mais uma leitora critica o hotel Canto da Praia, de Juquehy

"Gostaria de expressar a minha solidariedade com o sr. Marcelo José Alonso Bezerra dos Santos, pois foi a mesma realidade que encontrei no Canto da Praia, de Juquehy, São Sebastião, só que um final de semana antes da Páscoa. Eu e minha família ficamos simplesmente horrorizados, tanto com a sujeira e o descaso das pessoas que trabalham lá. Todas as dependencias do hotel se encontravam de forma lastimável. Só pra vocês imaginarem, a piscina estava nojenta, imprestável, e um hóspede teve que limpá-la! Quanto às toalhas, nunca havia disponíveis, e quando aparecia uma, estava molhada, suja e com mau cheiro!! O cheiro de mofo e a sujeira rodeava todas as dependências do hotel, mal cuidado e abandonado, e o banheiro da recepção nem pode ser descrito, pois seria uma falta de respeito com os leitores. Quando retornei para São Paulo, foi um alívio; passei um fim de semama de cão !! só não saí de lá pois já tinha pagado tudo e as outras pousadas não tinham quartos disponíveis. Quero recomendar que não freqüentem este hotel. Depois disso, enviei um e-mail para o hotel, mas nunca recebi o retorno. Quanto ao site, não se deixem enganar pelas aparências."
O site Guia Fuja continua aguardando um retorno do hotel, para ouvir sua posição.


Leitor critica o hotel Canto da Praia, de Juquehy

Marcelo e sua família foram passar o feriado da última Páscoa em São Sebastião e tiveram uma experiência bastante decepcionante. Ele conta: "Decidimos pelo hotel Canto da Praia, na praia de Juquehy. No site o hotel parecia maravilhoso. Apesar do preço de hotel 3 estrelas (R$ 1.100,00 por três dias), encontramos uma realidade muito diferente do mostrado na Internet. O hotel é decadente, mal-conservado e sem infra-estrutura. Os quartos são sujos, com teias de aranha e encontramos a roupa de cama suja. A varanda do quarto de tão suja estava imprestável para uso. O elevador fede a mofo. O banheiro do restaurante além de sujo não tem sabonete ou toalhas. Os jardins tão vistosos nas fotos publicadas na Internet estão como tudo mais abandonados. Metade das cadeiras de praia estão enferrujadas e os guarda-sóis estão imundos. Em pleno feriado acabaram-se as toalhas de banho (e o gerente colocou a culpa na lavadeira!). Para completar no domingo as 11h30 acabou a água do hotel! Este hotel é um grande golpe e os donos do hotel agem de má fé ao vender algo diferente do que entregam." Enviamos um e-mail ao hotel solicitando uma posição deles no dia 11 de abril, mas ainda não tivemos resposta.

Comentário do Guia Fuja: A equipe do Guia Fuja vem notando que a qualidade do serviço de boa parte dos hotéis e pousadas brasileiros cai muito em feriados prolongados, quando eles não se preparam tanto para o aumento de demanda como se preparam em meses de férias escolares. Mas isso não tem justificativa, uma vez que os preços cobrados também sobem. A falta de água também é um problema recorrente nas cidades litorâneas, mas já há hotéis que constroem poços artesianos e criam sistemas de racionamento ou reciclagem para contornar essa situação. E, embora o problema do cheiro de mofo seja difícil de resolver em locais de praia, ele deve ser combatido continuamente.

A raiz do desapontamento do leitor Marcelo, contudo, é a diferença entre o prometido pelo site e a realidade encontrada, e isso vem se repetindo, pois vários leitores nos apresentam a mesma queixa. Nossa orientação aos viajantes: desconfiem dos sites e chequem a qualidade do local com outras fontes de informação isentas, como guias de viagem, sites de viagem, amigos, e até mesmo o serviço de informações turísticas da cidade. Nossa sugestão a hotéis e pousadas: sejam fiéis na descrição que fazem de si mesmos nos sites, sob pena de manchar o que há de mais valioso a um estabelecimento de hospedagem: sua reputação.

Marcelo José Alonso Bezerra dos Santos
Paraíso, São Paulo


Leitora se queixa de atendimento no boulevard de lojas do Sofitel Jequitimar

A leitora Raquel Micheski, da Vila Gustavo, São Paulo, teve uma experiência constrangedora no Sofitel Jequitimar Guarujá, na praia de Pernambuco, em 27 de janeiro último. Não-hóspede, ela entrou no boulevard de lojas para fazer compras com o namorado, que estava sem camisa. Não havia sinalização avisando que era proibido entrar ali sem camisa e dois funcionários distintos os advertiram com muita rispidez sobre o fato. Um chegou a gritar com eles, quando eles explicaram que não sabiam da proibição, porque não havia placas indicativas disso: "na próxima vez, não volte aqui sem camisa, que você não entrará". A assessoria de imprensa do hotel explicou que a área de lojas, denominada Villa Jequitimar, não é gerenciada pelo Sofitel e sim pela empre Intermart Austin e reforçou: "os funcionários da marca Sofitel prezam pela excelência no atendimento e possuem treinamento específico para lidar com os clientes". A assessoria de imprensa da Villa Jequitimar também reconheceu o erro, pediu desculpas pelo acontecido e avisou que colocou sinalização e reforçou o treinamento dos funcionários da segurança, que foram os responsáveis pelo constrangimento. Veja a íntegra da resposta:

"Em atenção à carta da leitora Srta. Raquel, referente ao Villa Jequitimar, centro de comércio e serviços do complexo Jequitimar, primeiramente, pedimos desculpas e lamentamos o ocorrido.

"Realmente, a permanência de pessoas descalças e sem camisa no boulevard do Villa não é permitida. Agradecemos a sugestão de reforço na comunicação desta regra e informamos que a sinalização devida já foi providenciada.

"A equipe de segurança do Villa Jequitimar é treinada, também, para atender e orientar os visitantes com cordialidade e serem facilitadores dos clientes durante sua visita ao Villa Jequitimar. Estaremos reforçando este treinamento de modo a evitar repetições desta ocorrência desagradável."


Leitor reclama de pousada de Juquehy

Viagens de fim de semana costumam requerer aproveitamento total do curto tempo disponível. Então, é comum, por exemplo, que os paulistanos fujam da capital tarde da noite ou de madrugada e voltem também de madrugada, fazendo check-in nos hotéis e pousadas em horários pouco convencionais.

O leitor Marcos Barbosa conta que tentou fazer isso, em uma viagem de um dia, na Pousada Ilhas de Juquehy, na praia de Juquehy, em São Sebastião. "Fiz o check-in por volta das 23h do dia 03/02/07 e pretendia ficar até a noite do dia seguinte. Como o tempo estava agradável, resolvemos ficar até 5h30 da manhã de 05/02/07. Quando informamos a pousada, a dona mandou nos dizer o seguinte: 'Ou vocês saem até as 23h ou então somente após as 7h'. Ou seja, ficaríamos trancados sem poder deixar a pousada!!! Quer dizer que, se nós saíssemos pra jantar tarde da noite, não poderíamos entrar na pousada, pois não teria ninguém pra abrir a porta!"

Marcos conta que deixou imediatamente o local e foi se hospedar na Pousada Montão do Trigo, local onde, diz, foi muito bem recebido. Ele é assíduo freqüentador da praia de Juquehy. "Já me hospedei nas pousadas Bico Verde, Almirante e Montão do Trigo e sempre fui muito bem atendido em todas elas. O requinte das pousadas e a qualidade do atendimento torna Juquehy um lugar diferenciado, não ficando nem um pouco atrás das pousadas de Búzios ou Angra dos Reis."

Na verdade, pousadas não têm a mesma estrutura de hotéis, e, por isso, muitas vezes fazem arranjos como entregar as chaves aos hóspedes para lhes dar flexibilidade de horário. Pousadas que recebem viajantes de fim de semana precisam, mais do que as outras, garantir essa flexibilidade. Mas os proprietários da pousada Ilhas de Juquehy, Kalil e Ilda, disseram ao site Fuja que costumam ter essa flexilbidade, sim, e o que aconteceu foi excepcional. Reconhecendo como "justa a aspiração desse hóspede", eles esclareceram:

"Ocorre que o recepcionista noturno, que entraria às 23h, havia avisado que não poderia comparecer por estar com o pé quebrado, e seu quadro se agravou no domingo". Como o hóspede teria avisado em cima da hora sobre o novo horário de check-out pretendido, eles não puderam "convocar outro funcionário para substituí-lo"; "nós os proprietarios, marido e mulher, respectivamente com 70 e 67 anos de idade, não poderíamos ficar acordados para atendê-lo". De acordo com os proprietários, tratou-se de imprevisto que, em seis anos de atividade, nunca havia ocorrido. "Ninguém é infalível e às vezes ocorrem situações incontornáveis como aquela a que assistimos naquele dia."

Marcos Barbosa
Bairro Bela Vista, São Paulo - SP

Leitores apontam decadência de hotel-fazenda de Campinas

Os leitores Fabiana e Elcio Souza expressam seu desapontamento com o Hotel Fazenda Solar das Andorinhas. Como diz Fabiana: "Reservei um pacote para nove dias onde fomos eu e meu esposo levando meus pais. Chegando lá, [o problema começou com] a suíte para casal, que tinha duas camas de solteiro com um cobertor as juntando. Fora isso, a má conservação de todas as instalações era gritante, muitas coisas não funcionavam e presenciamos várias pessoas desistindo das reservas. Nós só não desistimos porque era uma viagem muito esperada. Uma pena que vendam uma coisa que não existe. Não se discute que existe potencial pois o lugar é lindo --pena que [está] totalmente abandonado. Inclusive os cavalos [estão] muito mal cuidados. OP que salvou um pouco foi a equipe de recreação contratada pelo hotel". O hotel Solar das Andorinhas informou que está passando por modificações operacionais, desculpou-se pelo eventual desconforto e ofereceu aos leitores do site Fuja duas diárias de cortesia para quatro pessoas num fim de semana.

Fabiana Spinetti Salvari Souza e Elcio José de Souza
Bairro Assunção, São Bernardo do Campo - SP

Leitor recomenda Apiário do Nonno, em Itu

O leitor Mario Biseo, de São Paulo, elogia o Apiário do Nonno, apiário que funciona em Itu, a 100 quilômetros da capital paulista, e oferece visitas com agendamento prévio e cursos para apicultores amadores. Ele convida os viajantes a entrar no site www.apiariodononno.com.br
Leitora critica duramente o Delphin Hotel do Guarujá

A leitora Patrícia Ichimori ficou profundamente decepcionada com o Delphin Hotel, do Guarujá. Segundo ela, o site do hotel cria uma expectativa que não corresponde de modo algum à realidade. "O hotel está muito sujo, decadente e com um insuportável cheiro de mofo, tanto nas suítes como nas áreas comuns." Patrícia reconhece que o cheiro de mofo é freqüente no litoral, mesmo nos hotéis mais sofisticados, mas o caso era extremo. Pior: foi sua minha primeira viagem com a filhinha de 11 meses, na véspera de um feriado prolongado. Ela chegou ao hotel às 3h da madrugada de um sábado e, às 5h, estava de volta em São Paulo. "Não poderia ficar lá; eu chorei de desespero. Não o recomendo para ninguém, e, principalmente, para quem vai com criança pequena, como eu fui." O hotel, de fato, precisa de uma manutenção urgente, como constatou a reportagem do Guia Fuja de Casa com as Crianças, e não é mais recomendado por este guia.
Pousada Santa Cândida, de Avaré, fechou

Leitora Ana Luci Grizzi avisa que Pousada Santa Cândida, de Avaré, deixou de funcionar. A pousada, localizada na Fazenda Santa Cândida, estava listada na Associação Brasileira de Turismo Rural e se classificava como hotel eqüestre.
Restaurante não é bom para crianças

Leitora Adriana Pocópio Fernandes não recomenda o restaurante Chácara Recreio Souza, na Zona Norte de São Paulo, para quem vai com crianças. As instalações mudaram, não há mais bifinho com fritas. "E fui mal atendida", diz Adriana. O restaurante Chácara Souza está sob nova direção. Tirou o "Recreio" do nome e foi transformado em churrascaria.
Leitora indica parque aquático e pousada em Olímpia

Fomos, no final de janeiro de 2006, ao parque aquático Thermas dos Laranjais na cidade de Olímpia, interior de São Paulo, próximo de Barretos e São José do Rio Preto, a pouco mais de 400 km da capital, ficamos hospedados na Pousada Brilho do Sol, uma pousada maravilhosa, com excelente café da manhã, e o parque Thermas dos Laranjais é maravilhoso, tem piscina com ondas , é um parque aquático de primeiro mundo com várias opções, e o melhor de tudo, achamos tudo barato, desde comida, bebida, entrada e a pousada. Com certeza voltaremos novamente, foi maravilhoso. Se puder vá fora de feriados, que terá pouca gente.
Pousada Brilho do Sol
Fone (17) 3281-9090

Lúcia M.Y.Dantas
São Caetano do Sul/SP
Leitora sugere hotel Areia que Canta, em Brotas

No mês de janeiro passamos um final de semana em um hotel de Brotas que se chama Areia que Canta - eu, meu marido e dois filhos, um de 3 anos e o outro de 5 anos; o hotel é muito bom, ótimas acomodações, o lugar é lindo, a comida é boa e possui muitos atrativos para uma viagem com crianças. Vale a pena conhecer!

Profa. Ana Maria, Unesp, Araraquara, SP
Sempre que pinta um feriado vamos, eu, minha mulher e amigos, a Cambuquira, Sul de Minas, e sempre ficamos na pousada Lua Luana, onde já ficamos até amigo dos donos.

Uma pousada bem no meio da natureza, morro pra todo lado, e é administrada por uma familia, então já podem imaginar o tratamento. Aquele café da manhã, com direito a broa de milho e queijo minas fresco, no almoço pratos caserios típicos de Minas, deliciosos, doces maravilhosos, tudo feito pela mãe e pela filha.

Paseios por trilhas, cavalos e até uma rampa pra vôo livre, pra quem curte um radical.

Fica aí nossa dica pra vocês.

Onde fica: Rod. Vital Brazil BR267, km 341,5 - Cambuquira - MG.
Tel.: (35) 251 1861 ou cel. 9989 1058
lualuana@net.em.com.br.

Alexandre e Patrícia, São Paulo
Estivemos, há um ano, na Cantina Roberto Tatini em Sapucaí Mirim - MG.

Localizado em região montanhosa, numa construção rústica e de extremo bom gosto, com a iluminação feita por velas, só faltava, para completar a perfeição do momento, a competência ao pilotar os fogões e a gentileza do próprio Tatini que além de preparar uma seqüência de pratos de sabor indescritível, deslocava-se de mesa em mesa, verificando cada detalhe, juntamente com sua mãe, a italiana e simpaticíssima Domenica.

O momento ficou marcado para nós e nos fez querer retornar à região para viver novamente momentos tão singulares.

Aí vão então os dados da Cantina:
Cantina Roberto Tatini
Rua Jaguari, 600 (ao lado da pista de Motocross)
Sapucaí Mirim - MG
Tel: (35) 3655-1084
Cel: (12) 9115-8809
aberta às sextas, sábados e domingos para almoço e jantar.
de segunda a quinta aceita reservas


Cássio, de São Paulo
Embora tenhamos nos tornado amigos dos donos da Pousada Jardins do Passaredo, nos sentimos super à vontade para recomendá-la, porque primeiro gostamos da pousada, depois viramos amigos. O jardim de bromélias é um dos pontos altos do lugar.

Cintia, Cotia - SP
(O telefone da pousada é 24-3387.1190)
Fiz com o grupo a trilha do Ribeirão do Itu, em São Sebastião, e foi o máximo. É meio aventura: você tem de saltar de lugares altos na água e vai sempre cercado de mata. Recomendo a todos.

Rodrigo, Vila Madalena, São Paulo
(O telefone dos monitores de São Sebastião, do Projeto Ecoguias, é 12-3892.1808)
Foi muito bom ir para o hotel Porto da Bocaina, em São José do Barreiro. Tem hidromassagem na varanda e a região é muito bonita.

Estevam, Itaim Bibi, São Paulo - SP
(O telefone do hotel é 12-3117.1102)
Num primeiro momento, você não dá nada por Itamonte, em Minas. Parece só uma ruazinha sem graça com umas casinhas sem graça. Mas aí você vai conhecendo as trilhas, matas, cachoeiras e cantos escondidos e é demais! Adorei tudo por lá. E é um ótimo ponto de partida para visitar o Parque do Itatiaia, o que eu não sabia. Ficamos no hotel Campos de Altitude, também muito legal. Delmar, Cotia - SP
(O telefone de informações turísticas de Itamonte é 35-3363.2000 ramal 210. O telefone do hotel Campos de Altitude é 35-3366.1264.)
Faz tempo que eu sou fã da Pousada Passaredo e seus chalés. Tem várias quedas d'água no seu terreno e a cidade toda é muito bonita. Fátima, Sumaré, São Paulo - SP
(O telefone da pousada é 24-3387.1190)
Fomos com nosso filho pequeno para o Hotel Fazenda São Francisco, em Cunha, e a experiência deu muito certo!
Paulo, Sumaré, São Paulo - SP
(o telefone do hotel é 12-3119.6135)

Home| Clube dos Viajantes| Arquivos Sua próxima fuga| Arquivos Jornal do Fuja| Arquivos Guia da Folha| Arquivos O Barato do Fuja| Arquivos Fuja no Fim de Semana| Arquivos Fique em São Paulo| Arquivos Fique Zen| Arquivos Fique Gourmet| Arquivos Fuja por um Ano| Arquivo Fujinha Kids

© Copyright 2002 AF Comunicações, Adesign e Publifolha - Todos os direitos reservados