Home   |   Os Guias   |   Fuja no Fim de Semana   |   Fique em São Paulo   |   Fujinha   |    Fuja por 1 Ano   |    Fique Gourmet   |   Fique Zen  




Calcule todos os gastos da sua viagem

Hospedagem e spas
Restaurantes e comidinhas
Agências e Monitores
Principais destinos - Como chegar
Como viajar
Informações de trânsito
Previsão do tempo
Como comprar o Guia Fuja no Fim de Semana

Calendário










Como viajar
 Carro 

A parte mais cansativa da viagem é a estrada. Alguns cuidados podem deixá-lo mais tranqüilo e seguro para enfrentar a situação.

Dicas de direção


Embaçamento: deixe os vidros dois dedos abertos e use lenço de papel ou papel higiênico para limpar o vidro da frente. Se não resolver, pare no acostamento, ligue o pisca-alerta e espere a chuva diminuir. Mantenha distância do carro da frente e ligue o farol mesmo de dia.

Aquaplanagem: ocorre quando o veículo passa por uma poça de água e perde o contato com o chão. Diminua a velocidade e a marcha até conseguir controlar novamente o carro. Para frear em pista molhada, pise no pedal de forma suave e gradativa, para que as rodas não travem.

Alagamento: coloque na primeira marcha e ande com o motor acelerado. Não pare, pois a aceleração e o movimento impedem que a água entre pelo escapamento e danifique o motor. Procure não variar a velocidade para evitar que a água atinja o sistema elétrico. Teste os freios após passar pelo alagamento.

Nevoeiro ou neblina: reduza a velocidade e use faróis baixos. Siga um ponto de referência, como as faixas no asfalto, e fique atento ao som de cascalho: você pode estar saindo da pista sem perceber.

Vento lateral: quando muito forte, pode desgovernar o carro. Reduza a velocidade e abra todos os vidros para
diminuir um pouco a ação dos ventos.

Falha de freios: bombeie o pedal várias vezes -isso pode fazer com que volte a funcionar. Se não der certo, reduza a marcha e use o freio de mão. Sempre desça a serra com a marcha engatada para evitar o superaquecimento dos freios.

Animais na pista: reduza a velocidade e não buzine, pois a reação é imprevisível. Ultrapasse devagar e por trás dos animais. Se encontrar boiadas, feche o vidro e ande na primeira marcha. Avise o posto rodoviário mais perto.

Atolamento: em trechos de provável atolamento, tire os passageiros e as bagagens do carro. Quanto mais leve, menos chance de atolar. Se isso ocorrer, engate sucessivamente a primeira e a marcha a ré, movimentando o carro para frente e para trás. Se não funcionar, cave as laterais da roda e coloque pedras e os tapetes de borracha do carro, para dar aderência. Murche um pouco o pneu para aumentar a área de contato. Se nada disso der certo, só resta o reboque.

Lama e costelas de vaca: evite os sulcos e dirija nas partes mais altas da estrada. Em caso de lama, vá devagar, na primeira ou segunda marcha. A chance de derrapar aumenta nas curvas. Buzine para alertar quem vem do outro lado. Passe devagar nas costelas de vaca (ondulações), para poupar a suspensão e o pula-pula dos passageiros.

Ladeira: mantenha a marcha reduzida e a velocidade constante, principalmente para subir as mais escorregadias. Evite movimentos bruscos para não derrapar. A descida deve ser feita na mesma marcha usada para a subida.
Obstáculos e quebra-molas: diminua a velocidade, tire o pé do freio na chegada, pise na embreagem e cruze o obstáculo com o carro solto. Passe com as rodas retas, e não na diagonal.

Conforto e segurança

Para evitar o cansaço, encoste bem as costas no banco, segure o volante com os braços levemente dobrados e pise nos pedais sem esforço. Use roupas e sapatos confortáveis, evite comidas gordurosas e de difícil digestão. Não dirija com as janelas escancaradas para não irritar os olhos. Adie a viagem se estiver com sono, sob efeito de medicamentos ou abalado emocionalmente.

Uso do cinto de segurança: é obrigatório. Embora haja quem acredite que mais atrapalha do que ajuda, na grande maioria dos acidentes ele salva vidas.

Uso do pisca-alerta: o uso do pisca-alerta, que serve para advertir outros motoristas sobre algum perigo, é previsto em duas situações: quando o carro está parado ou quando o carro está em movimento numa situação de emergência que requer mudanças no modo de dirigir (quando o veículo está com problemas mecânicos ou quando há um passageiro passando mal). Os policiais advertem que o uso em movimento deve se restringir somente a emergências mesmo, sob pena de multa.

Uso do farol: só acione o farol alto se não houver outro veículo à frente, sobretudo no sentido contrário, pois serão dois motoristas momentaneamente cegos.

Uso do acostamento: pare no acostamento o mais longe possível da estrada. Ligue o pisca-alerta e coloque o triângulo uns 40 ou 50 passos atrás, no limite da pista. Só pare em pista sem acostamento em caso de emergência. Improvise, além do triângulo, uma sinalização com galhos, para não provocar acidentes.

Velocímetro: não ande no limite de velocidade sem ter certeza de que o marcador está regulado.

Bebida alcoólica: se beber não dirija. A menor alteração dos reflexos pode ser fatal. Mesmo.

Bagagem: acomode tudo sem que interfira em seu campo de visão e sem que seja necessário tirar malas para alcançar o estepe e as ferramentas ou mesmo uma blusa ou comida. Amarre bem o bagageiro externo e use lona para protegê-lo do sol, chuva e poeira. A altura máxima permitida para bagagens é 55 cm. Tenha cuidado nas curvas e reduza a velocidade se o vento estiver muito forte. Se tiver carreta, leve mais dinheiro para o pedágio, que é cobrado por eixo. Bikes vão em rack específico e com largura não superior à do carro.

Crianças: sempre devem ir no banco de trás -a multa pela infração é alta. Faça o máximo para protegê-las do sol, vento, calor, fome e desidratação. Leve livros e brinquedos para que fiquem entretidas. Menores de 4 anos devem viajar em cadeirinha especial. Crianças de 4 a 7 anos ficam mais bem acomodadas sobre uma almofada; assim o cinto funciona melhor.

Carona: não dê carona a estranhos. Conselho da polícia.

Distância do carro da frente: andar colado é péssimo. Quanto maior sua velocidade, maior deve ser a distância em relação ao carro da frente.

Cuidado com os outros: às vezes é preciso ter mais cuidado com os outros do que consigo mesmo. Procure não se irritar, não revide provocações, não faça "guerra de faróis". Tudo isso diminui sua agilidade e atenção no trânsito. Nos feriados, redobre a atenção: as estradas ficam cheias de motoristas inexperientes. Procure também não ser muito autoconfiante. Se um carro "colar" no seu, deixe-o passar, pois ele pode ter algum problema -mecânico ou com algum passageiro. Tente não perder a calma.

Sinais entre os motoristas

Um aceno com a palma para a frente ou uma buzinadinha significam "olá" ou "obrigado".
Para avisar ao motorista atrás de você que ele pode passar, ligue a seta para a direita. Caso a ultrapassagem não seja segura, ligue a da esquerda. Quando for sua vez de passar, saiba que muitos motoristas se confundem e invertem a mensagem. Faça sua avaliação.

Se precisar parar na estrada, avise o motorista de trás com dois leves toques no freio.
Quando um motorista no sentido oposto ao seu dá umas piscadelas de farol, ele está avisando que logo à frente há policiais, acidentes, queda de barreira, animais ou pessoas na pista. À noite, apagam-se e acendem-se as luzes.

Viagem de moto


Quem viaja de moto deve transportar uma única mala, pequena (para não prejudicar o equilíbrio), cobrindo-a com plástico e prendendo-a. É recomendável que pare várias vezes e que ande à direita dando passagem, acendendo o farol mesmo de dia. Traje obrigatório: capacete, roupas chamativas, luvas, joelheiras, jaqueta e botas de couro.

Home| Clube dos Viajantes| Arquivos Sua próxima fuga| Arquivos Jornal do Fuja| Arquivos Guia da Folha| Arquivos O Barato do Fuja| Arquivos Fuja no Fim de Semana| Arquivos Fique em São Paulo| Arquivos Fique Zen| Arquivos Fique Gourmet| Arquivos Fuja por um Ano| Arquivo Fujinha Kids

© Copyright 2002 AF Comunicações, Adesign e Publifolha - Todos os direitos reservados